APCEP - Associação Portuguesa para a Cultura e Educação Permanente
Untitled Document
  • apcep.pt
  • apcep.pt
  • apcep.pt
  • apcep.pt
  • apcep.pt
 
Plano de Actividades 2019
 
A APCEP procurará, em 2019, reforçar os diferentes eixos de intervenção que foram criados e estimulados desde 2014 e, consequentemente, fortalecer a sua actuação enquanto actor da sociedade civil para a divulgação e promoção dos princípios e dos valores da Educação Permanente.

Assim, 2019 será um ano essencialmente de consolidação e reforço das práticas, quer ao nível das actividades/ iniciativas promovidas directamente pela APCEP, centralmente ou através dos seus Círculos; quer ao nível das iniciativas desenvolvidas pelos seus associados, individuais e colectivos, assentando numa dinâmica de cooperação e suporte.

No seguimento do referido acima, destacamos as seguintes actividades já previstas, integradas nos diferentes objectivos definidos nos estatutos de 1982:

Proceder à divulgação dos princípios, práticas e realizações da educação permanente e do desenvolvimento cultural

• Publicar a newsletter da APCEP, para todos os associados, todos os organismos tutelares e para outros interessados.
• Manter e aperfeiçoar a página da Internet da APCEP (www.apcep.pt) e a página do Facebook, assim como outras redes sociais em que a APCEP disponibiliza informação, disseminando práticas, recursos e iniciativas de relevo; Envolver nestas práticas jovens em formação para a comunicação social (Curso de Comunicação Socail da ESEC) e adultos seniores na difusão através de redes locais (IHumanus).
• Colaborar com a organização associada “Caixa de Mitos” em actividades relacionadas com o projecto "Dar a conhecer a Educação de Adultos aos europeus" e mais especificamente na acção central do Curso de Relações Públicas e Jornalismo para a Educação de Adultos.
• Colaborar com a EPALE, https://ec.europa.eu/epale/pt, através do diálogo e aprendizagem com os colegas europeus profissionais da Educação de Adultos na qualidade de maior comunidade europeia de educação de adultos à escala europeia.
A interação na plataforma far-se-á através da apropriação das notícias, histórias e artigos publicados pelos parceiros, quer inscrevendo as nossas próprias.
• Continuar a realizar iniciativas de lobby junto dos decisores políticos, a nível central, regional e local, no sentido de assegurar medidas de “discriminação positiva” a favor das populações e dos territórios (urbanos ou rurais) mais desfavorecidos e marginalizados, constituindo-se como voz da sociedade civil para os princípios da Educação Permanente.
• Promover e coordenar uma coleção de ediçoes sobre Educação Permanente em colaboração com as Edições Ulmeiro - coleção Aprender sem ser ensinado.

Dinamizar a participação pública na discussão dos temas da educação e da cultura

• Organizar debates e promover a publicação das respectivas conclusões relativamente a temas em foco da educação e da cultura, assim como a propósito de recentes programas e medidas de política pública nas mesmas áreas.
• Neste sentido, terão grande relevância os Círculos Temáticos existentes, como Alfabetização de Adultos, Ivan Illich e Comunidade e Família.
• Participação na divulgação das principais ideias que recolhemos nas reuniões e estudos a que procedemos no quadro do Plano Nacional de Literacia de Adultos (PNLA,2019) Igualmente nas que recolhemos em estudos anteriores nomeadamante no quadro do Plano Nacional de Educação de Base dos Adultos (PNAEBA, 1980).
• Realizar um Encontro Nacional de difusão dos principais conhecimentos durante os últimos 50 anos mobilizando as nossas Bibliotecas Vivas, promovendo, antes e depois, o debate sobre as condições de realização de políticas educativas junto das populações de baixa condição escolar.
• Idem a propósito do lançamento da coleção Aprender sem ser ensinado.
• Conciliar as sessões públicas realizadas no Instituto de Educação no sentido de aprofundamanto da Educação Permanente. Conciliar as sessões das Inquietações Pedagógicas de modo a contribuir com a perspetiva da Educação Permanante para o aprofundamanto do atual sistema educativo.
• Participar activamente em encontros e seminários dedicados a temas fulcrais da Educação Permanente, dentro e fora de fronteiras.
• Organizar debates e promover a publicação das respectivas conclusões relativamente a temas em foco da educação e da cultura, assim como a propósito de recentes programas e medidas de política pública nas mesmas áreas.
• Relativamente aos Círculos Temáticos, em 2019, a APCEP prevê a criação/ dinamização dos seguintes Círculos:

a) Continuação da atividade do Círculo de Alfabetização de Adultos: Aprofundar na APCEP a contribuição no atual PNLA – Plano Nacional de Literacia dos Adultos;
Participar, de forma fundamantada – eventualmente crítica – no Plano de implementação do Plano; participar em projetos e atividades eventualmente propostos; divulgar os estudos realizados no quadro da APCEP; dinamizar as redes criadas neste contexto. Fortalecer a troca de experiências e materiais com os parceiros, nomeadamente em matéria de formação de formadores e formação de adultos em alfabetização/literacia (ex: grupo fechado Facebook: alfabetização de adultos APCEP)
b) Comunidade e Família: Para além da perspetiva de envolvimento das famílias e comunidades na prevenção contra a exclusão escolar das crianças, procura-se refletir sobre o desenvolvimento comunitário de espaços de formação, dando o significado de Educação Permanente ao que correntemente se denomina Educação não formal e educação informal. Continuar a atividade já iniciada no Bairro dos Navegadores no Concelho de Oeiras
c) Círculo Ivan Illich: desenvolvimento de estudos e tertúlias que, a partir da reflexão sobre a obra de Ivan Illich, continue a permitir refletir as perspetivas de Educação Permanente em oposição ao modelo escolar dominante e ineficaz, na maioria das respostas propostas nas ofertas de educação de adultos dando continuidade à cooperação com a Casa da Achada.

Contribuir para a anulação de desequilíbrios regionais de tipo económico, social, educativo e cultural

• Divulgar e apoiar o trabalho dos Círculos Regionais em actividade e suscitar a criação de novos, procurando sempre que trabalhem em cooperação estreita com organizações públicas, privadas e solidárias no âmbito das diferentes dimensões da Educação Permanente. Aproveitar o projeto Literacia para a Democracia financiado pela FC Gulbenkian para fortificar a relação com os Círculos Regionais.
• Actualmente, a APCEP conta com os seguintes Círculos Regionais com quem constitui uma rede: Círculo Regional do Alentejo (em parceria com a Universidade popular Túlio Espanca), Círculo Regional do Algarve, Círculo Regional de Coimbra, Círculo Regional de Leiria, Círculo Regional de Lisboa, Círculo Regional do Minho, Círculo Regional do Oeste, Círculo Regional do Porto e Círculo de Trás -os-Montes cujas actividades se encontram disseminadas em páginas específicas das associações, grupos ou projetos ou no site da APCEP no local dos círculos respetivos. A título de exemplo refira-se o Círculo do Algarve que, em parceria com a Câmara Municipal de Lagoa e a Direcção Regional de Educação, prevê a organização da 3ª edição do Encontro Regional de Educação Permanente, Saberes em Festa.
• Alargar a base de adesão e dinamização dos Circulos Regionais através das relações estabelecidas no quadro do PNLA.
• Idem através do Encontro das Bibliotecas Vivas.
• Nos projetos de alfabetização comunitária inserir a preocupação de envolvimento parental e de outros grupos comunitários (literacia comunitária) na educação das crianças combatendo o insucesso escolar e desenvolvendo a coesão social
• Participar e dinamizar atividades de desenvolvimento e proteção das zonas rurais do interior (ver círculo de Coimbra e do Alentejo) apoiando a consciência e o conhecimento produzido em tempos mais recentes sobre a importância da floresta na sustentabilidade local e global e ainda o que se tem desenvolvido no campo da ciência sobre produção e consumo sustentáveis, nomeadamente a biodiversidade, a economia circular, as alterações climáticas, a agricultura e os recursos hídricos mediterrâneos, as cidades e comunidades sustentáveis.

Fomentar a formação cívica e o exercício da democracia

• Conscientes da necessidade de disseminar práticas existentes em Portugal e no resto da Europa, priorizaremos o contacto e trabalho em rede com experiências nacionais e estrangeiras, nas quais se ponha em prática a cidadania activa, disseminando largamente os respectivos princípios, métodos e resultados. Divulgar e participar no que formos recebendo sobre os vários temas de cidadania.
• O Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian, em 31 de janeiro último, deliberou selecionar a candidatura para financiamento, pelo Programa Cidadãos Ativ@s a que a APCEP se candidatou sob o signo - Literacia para a Democracia / Literacy for Democracy enquanto promotor. Do envolvimento que teremos com os pareciros Barafunda - Associação juvenil de cultura e solidariedade social; ALÉM - Associação literatura, literacia e mediação; iCreate - Associação para a
promoção da criatividade, desenvolvimento pessoal e reabilitação psicopedagógica;
Bjerkaker LearningLab (Noruega); Município de Vila Nova de Poiares, Escola Superior de Educação de Coimbra; Município de Condeixa-a-Nova e o Centro Qualifica Associação de Escolas de Paço de Arcos, que em conjunto se propõem "Educar para a cidadania e literacia democrática de modo a desenvolver a auto-eficácia das comunidades na resolução dos seus problemas" esperamos uma ampla difusão da problemática e construção de instrumentos teóricos e materiais que nos pemitam avançar com força neste domínio. Contamos ainda poder apoiar este programa lançado pelo sistema educativo.

Congregar e reforçar a organização de forças, grupos ou associações localmente empenhadas na educação popular, educação permanente e desenvolvimento cultural.

• Dar maior visibilidade às experiências de Educação Permanente, através da criação de eventos regionais, decorrentes do trabalho dos Círculos, para a apresentação de projectos e da disseminação das boas práticas nos canais de comunicação da APCEP;
• Continuar as parcerias já iniciadas com associações, cooperativas ou empresas: Barafunda - Associação juvenil de cultura e solidariedade social; ALÉM - Associação Literatura, Literacia e Mediação; Associação Olisipo Forum, Casa dos Açores, Museu do Aljube - Resistência e Liberdade; APCC- Associação para a Promoção Cultural da Criança; Animar; Associação Activar da Lousã; Instituto Humanus para a promoção da Educação ao Longo da Vida; Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral; ICreate Consulting em Vila Nova de Poiares, SUÃO- Escola Comunitária de São Miguel de Machede; Cooperativa ECOS, Caixa de Mitos, KERIGMA, Associação In Loco, Movimento de Apoio à Problemática da SIDA (MAPS), Escola de Segunda Oportunidade de Matosinhos, As Inquietações Pedagógicas, Os Saberes em Festa.

Procurar novas ligações e parcerias com outras associações e entidades afins.

• Continuar a desenvolver colaborações e parcerias com autarquias, aprofundando designadamente as relações anteriormente estabelecidas com as Câmaras Municipais de Almada, de Oeiras, da Amadora, de Matosinhos, de Condeixa, de Vila Nova de Poiares, de Penacova, de Loulé, de Lagoa, de S. Brás de Alportel, entre outras.
• Idem com outras instituições públicas, como o Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, a Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Coimbra, a Universidade Lusofona, a ANQEP, o IEFP, a Universidade do Algarve, o Centro de Ciência Viva, a Fundação Calouste Gulbenkian, o Conselho Nacional de Educação, a Fundação Karim Aga Khan, as Edições Ulmeiro, variadas escolas de vários níveis espalhadas pelo país e outras instituições.
• Motivar e dar continuidade aos Círculos Regionais no seu papel de “construtores de redes”, facilitando o conhecimento mútuo e uma cooperação fecunda entre organizações vizinhas relevantes para a Educação Permanente.
• Dinamizar a relação com esta rede em setores vários da educação permanente, nomeadamante naqueles em estivermos mais envolvidos: literacia, cidadania ativa, vulnerabiliade ecológica…

Colaborar com entidades públicas e particulares na preservação do património ambiental, arquitectónico e arqueológico 

Motivar associados a constituirem um “Círculo Temático” sobre o Património e respectivas interacções com a Educação Permanente, tendo em vista nomeadamente a continuação da organização de visitas culturais orientadas.


• Dar particular atenção a projetos que desenvolvam a consciência da vulnerabilidade ecológica nomeadamente a economia circular – a biodiversidade, a agricultura e os recursos hídricos mediterrâneos, as cidades e comunidades sustentáveis, aliada às questões referentes à sustentabilidade ecológica, social e económica e o ordenamento do território para a prevenção de catástrofes.
• Diálogo - reconhecimento e interação - com as culturas locais na preservação e desenvolvimento dos saberes locais entendido como primeira fase de estratégias de desenvolvimento local. Proporcinar contextos de saberes entre saberes eruditos e populares.
• No quadro dos projetos de literacia fomentar o diálogo com a linguagem oral enquanto ponto de partida para a escrita, motivação pelo reconheciento na aprendizagem e recolha de património histórico local (património cultural imaterial)

Assumir-se como interlocutor válido e/ou grupo de intervenção junto dos poderes públicos, dentro do seu âmbito específico


• Organizar atividades públicas, nomeadamante um Encontro em torno dos conhecimentos adquiridos nos vários campos da literacia que enriqueçam e façam lobi no quadro da eventual implementação do Plano Nacional de Literacia dos Adultos com os saberes adquiridos e desenvolvidos ao longo dos últimos 50 anos.
• Produzir conhecimento no campo da literacia, nomeadamante em comunidades vulneráveies. Aprofundar os conhecimentos sitematizados em torno das comunidades multiculturais e da diversidade, do envolvimento da população senior, dos cidadãos envolvidos em quadros de desenvolvimento, na literacia comunitária.
Prevenção de continuidade da iliteracia através da ação junto de pais, mães, familiares e comunidades.
• Envolvimento e apoio à criação de Escolas de 2ª Oportunidade com ancoragem no projeto de Matosinhos, procurando a sua expansão no país utilizando a nossa rede de parceiros.
 

 



Untitled Document
 
 
 
 
 
 
 
 

 

 
 
 
Untitled Document

© 2016 Copyright - Todos os direitos reservados à Associação Portuguesa para a Cultura e Educação Permanente | Webmaster: David Albino